Cena de Branca de Neve.
Cena de Branca de Neve.

A primeira princesa

No final da década de 30, os edtúdios de Walt Disney lançariam um musical revolucionário. Mas não era apenas um musical. Em 1937 o público atônito teve a oportunidade de assistir o já consagrado Branca de Neve e Os Sete Anões (Snow White and the Seven Dwarfs), primeiro longa metragem animado produzido nos Estados Unidos, e totalmente em cores. À época, o grande mestre Walt Disney foi considerado louco em gastar tanto dinheiro em um longa animado. “Quem agüentaria assistir a 90 minutos de desenho animado?”, perguntavam. “É desnecessário dizer que Branca de Neve respondeu a essa pergunta retórica tornando-se um dos maiores sucessos da história do cinema e consolidando a posição da Disney como o maior estúdio de animação do mundo” 1

Superar limites era um dos objetivos declarados de Walt Disney. Ele já havia quebrado a barreira do som nos desenhos animados com Steamboat Willy e, alguns anos mais tarde, deu cor às animações. Branca de Neve foi simplesmente o passo seguinte em termos artísticos e finaceiros… também fez a animação evoluir a tal ponto que somente com o advento da computação gráfica pode-se afirmar que ela alcançou outros patamares. 2

Cartaz de Branca de Neve e Os Sete Anões, de 1937.
Cartaz de Branca de Neve e Os Sete Anões, de 1937.

A fórmula

O filme foi um sucesso e lançou os moldes da maioria das animações futuras do estúdio. Musicais, alguns deles protagonizados por uma princesa que se apaixona por um “príncipe encantado”, que têm como antagonista um vilão “que amamos odiar”; e personagens-satélite adoráveis preenchendo toda a célula de animação. Tudo isso embalado por canções que entraram para o repertório popular como Whistle While You Work e, principalmente, Someday My Prince Will Come.

A animação alcançou uma das maiores bilheterias de todos os tempos e é considerada a obra-prima de Walt Disney. Outro feito da película foi mostrar que desenhos animados são muito mais que entretenimento infantil. Quando Disney resolveu realizar o longa, “instintivamente sabia que o filme precisaria crescer não apenas em extensão, mas em profundidade” 3.

Nunca se vira algo semelhante às técnicas de Branca de Neve.  O cinema de animação era considerado um entretenimento infantil, seis minutos de gags envolvendo ratos e patos, antes do cinejornal e do filme principal. Branca de Neve demonstrou que a animação poderia libertar um filme da armadilha de espaço e tempo; que gravidade, dimensão, limitações físicas e regras de movimento poderiam ser vencidas pela imaginação dos animadores. 4

Walt Disney recebendo as estatuetas de Shirley Temple.
O mestre Walt Disney recebendo as estatuetas de Shirley Temple.

Uma obra-prima

Branca de Neve recebeu um Oscar Honorário em 1938 pela “importante inovação que encantou milhões e inaugurou um grande campo para os desenhos animados”5. O prêmio foi entregue a Walt Disney por Shirley Temple, a estrela mirim (e inspiração para Sílvio Santos criar a Maysa!!!) com dez anos então. Acompanhando a estatueta, sete miniaturas representando os sete anões companheiros de Branca de Neve. O mundo do cinema e, principalmente o das animações, nunca mais seriam os mesmos. E o nome de Walt Disney, virou lenda.

Branca de Neve e os Sete Anões foi imediatamente saudado como obra-prima (o diretor russo Sergei Eisenstein chamou-o de o melhor filme já feito). Continua sendo a jóia da coroa de Disney e, embora as modernas bilheterias inflacionadas tenham permitido que outros títulos o suplantassem no total em dólares, é provável que ele ainda seja o filme de animação mais visto pelo público. A palavra “gênio” é de uso fácil e vem sendo vulgarizada, mas quando é usada para descrever Walt Disney reflete que ele concebeu este filme… e de certo modo influenciou todos os filmes de animação realizados posteriormente. 6

Cartaz de Alô Amigos, de 1943.
Cartaz de Alô Amigos, de 1943.

Outros sucessos

O estúdio produziu nas décadas seguintes inúmeros musicais animados como Pinocchio (1940), Fantasia (1940), Dumbo (1941), Alô Amigos (Saludo Amigos, 1942, com participação de Aurora Miranda, irmã de Carmen), Cinderella (1950), Alice no País das Maravilhas (Alice in Wonderland, 1951), Peter Pan (1951), A Dama e o Vagabundo (Lady and the Tramp, 1955), A Bela Adormecida (Sleeping Beauty, 1959), 101 Dálmatas (One Hundred and One Dalmatians, 1961) e Mogli, O Menino Lobo (The Jungle Book, 1967), última animação supervisionada pessoalmente pelo próprio Walt Disney antes de sua morte em 66.

Mais…

Veja Branca de Neve cantando a cação Someday My Prince Will Come na voz de Adriana Caselotti…

Parte VI: Dancing Cheek to Cheek

Parte VIII: We’re off to see the wizard 

Voltar ao índice geral

Notas:

SCHNEIDER, Steven Jay (coord.). 1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer. Rio de Janeiro: Sextante, 2008, p.137.

SCHNEIDER, Steven Jay (coord.). 1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer. Rio de Janeiro: Sextante, 2008, p.137.

EBERT, Roger. Grandes Filmes. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006, p.99.

EBERT, Roger, op. cit., p.100.

BERGAN, Ronald. Guia Ilustrado Zahar Cinema. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2007, p.412

6 EBERT, Roger, op. cit., p..102.

Anúncios